Bloco K

O Bloco K é uma obrigação na qual a sua empresa passará a enviar mensalmente ao Fisco, na EFD ICMS/IPI, os dados referentes à movimentação de mercadorias, produção e consumo de insumos. Atualmente essas informações são mantidas em poder da empresa e acessadas pelo Fisco somente quando requeridas. Com o Bloco K, sua empresa passará a ser fiscalizada eletronicamente com um grande poder de cruzamento e informações.

PRODUÇÃO

  • Abertura de ordem de produção;
  • Materiais consumidos;
  • Conclusão de ordem de produção.

ESTOQUE

  • Entrada de materiais;
  • Controle de estoque de materiais de clientes enviados para a industrialização;
  • Saída de materiais para a produção;
  • Entrega de produto acabado.

COMPRAS

  • Gerenciamento da contratação de industrialização, executados por fornecedores.

FATURAMENTO

  • Emissão de notas de remessa
    para industrialização;
  • Remessa de insumos para terceiros;
  • Retorno para clientes.

EMPRESAS OBRIGADAS:

  • Industriais;
  • Equiparadas às industriais;
  • Comércios atacadistas.

Desafios para sua empresa

A implementação do Bloco K é mais que uma avaliação sistêmica. Ela aborda questões culturais da empresa e de seus colaboradores, principalmente do que se trata da área produtiva e dos demais setores envolvidos como compras, vendas, PCP, contábil, tributário, estoque, custos entre outros. Abaixo alguns dos principais desafios:

Os registros eletrônicos de produção e estoque deverão ser 100% atualizados.

Treinamento de profissionais: investimento na capacitação da sua equipe para evitar multas.

O controle produtivo deverá estar alinhado para a adequada apresentação ao Fisco sem risco de penalidades.

100% das movimentações deverão ser entregues dentro do prazo estabelecido pelo governo de forma digital.

A visão dos nossos profissionais

Com base nos projetos desenvolvidos pela Sage IOB, apontamos os principais fatores de risco na implantação do projeto de Bloco K:

  • 95%
    das empresas avaliadas possuem algum tipo de problema relacionado à ficha técnica (estrutura dos produtos inexistente ou desatualizada);
  • 80%
    das empresas analisadas possuem divergência nas quantidades recebidas com relação a nota fiscal de entrada que impactam no saldo em estoque;
  • 90%
    das empresas avaliadas não possuem o controle estimado da perda de insumos no processo produtivo por insumo;
  • 65%
    das empresas possuem saída ou entrada de amostras utilizadas na produção sem a emissão das respectivas notas fiscais.

Fonte: Sage IOB

Como ajudamos você

Preencha seus dados!